quarta-feira, 4 de março de 2015

O papa agradece pela valentia dos bispos do norte da África

Por Eliana Maria (Ir. Gabriela, Obl. OSB)

  
‘O papa Francisco agradeceu à Igreja na Líbia e a todas as comunidades eclesiásticas do norte da África pela sua valentia, presença pacífica e permanência na região apesar dos muitos perigos.

A Conferência dos Bispos do Norte de África (CERNA), que agrupa as dioceses de Marrocos, Argélia, Tunísia e Líbia, em visita ad limina,... o papa reconheceu o seu trabalho e recordou a história da região, marcada por figuras de santidade.

Há vários anos, a sua região vem experimentando mudanças significativas, que levam a esperar o cumprimento de certas aspirações a mais liberdade e dignidade e o favorecimento de mais liberdade de consciência’. No entanto, há também violência. Diante dela, o papa reconheceu a valentia, a lealdade e a perseverança dos bispos da Líbia, assim como dos sacerdotes, pessoas consagradas e leigos que permanecem no país apesar dos muitos perigos. ‘São autênticas testemunhas do Evangelho. Agradeço a eles de todo o coração e os encorajo a continuar os seus esforços em prol da paz e da reconciliação em toda a região’, afirmou Francisco.

Esta Conferência Episcopal ‘é um lugar de intercâmbio e diálogo significativo, mas também deve ser um instrumento de comunhão para aprofundar as relações fraternais e a confiança recíproca’. O pontífice recordou aos prelados a necessidade de estarem particularmente próximos de todos os sacerdotes e ‘atentos à sua formação contínua, para que eles possam viver o seu ministério plena e serenamente. Os religiosos e religiosas têm um lugar especial na vida e na missão da sua Igreja e eu lhes agradeço pelo seu testemunho de vida fraterna e pelo seu generoso compromisso no serviço dos irmãos e irmãs’.

O papa disse ainda que a universalidade é uma característica dessas igrejas, com fiéis de muitas nações que formam comunidades vivas. ‘Este fato dá a oportunidade de admirar a obra de Deus, que se estende sobre todos os povos e todas as culturas’. Na vida dessas igrejas, é muito importante o diálogo inter-religioso, em que ‘a imaginação da caridade sabe abrir inumeráveis caminhos para levar o sopro do Evangelho aos mais diversos setores sociais e culturas’. A propósito, o papa destacou que ‘o desconhecimento mútuo é a fonte de muitas incompreensões e até enfrentamentos. O antídoto mais eficaz contra toda forma de violência é a educação para se descobrir e a aceitar a diferença como riqueza e fertilidade. É essencial que, nas suas dioceses, os sacerdotes, religiosos e leigos estejam capacitados neste âmbito’.

No coração da sua missão e na origem de sua esperança, está o encontro pessoal com Jesus Cristo e a certeza de que Ele age no mundo, para o qual vocês foram enviados em nome dele. A vitalidade evangélica das suas dioceses depende da qualidade da sua vida espiritual e sacramental’.

Mencionando os santos da região, o papa lembrou ‘os religiosos e religiosas que entregaram tudo a Deus e aos irmãos, até o sacrifício da própria vida’. Os bispos devem desenvolver esta herança espiritual entre os fiéis, mas abrindo-a para todos. ‘Fico feliz em saber que, nos últimos anos, vários santuários cristãos foram restaurados na Argélia. Acolhendo cada um do jeito que ele é, sem proselitismo, as suas comunidades demostram que querem ser uma Igreja de portas abertas’.

Em referência ao Pontifício Instituto de Estudos Árabes e Islâmicos (PISAI), Francisco convidou os bispos a ‘apoiar e servir-se desta instituição tão necessária para impregnar-se da língua e da cultura’ e para ‘aprofundar um diálogo na verdade e no amor entre os cristãos e os muçulmanos’, um diálogo ‘que os bispos experimentam dia a dia também com os cristãos de diversas confissões’. O pontífice expressou ainda o desejo de que o Instituto Ecumênico Al Mowafaqa, fundado em Marrocos para promover o diálogo ecumênico e inter-religioso, contribua para o melhor conhecimento mútuo.

Igreja do encontro e do diálogo, vocês querem servir a todos sem distinção. Tantas vezes com meios modestos, vocês manifestam a caridade de Cristo e da Igreja para com os pobres, enfermos, idosos, mulheres necessitadas e prisioneiros’.  O papa lhes agradeceu ainda pela ajuda aos muitos imigrantes de outras partes da África que chegam aos seus países de passagem ou em busca de acolhida. ‘Reconhecendo a sua dignidade humana e trabalhando para despertar as consciências diante de tantos dramas humanos, vocês demonstram o amor de Deus por cada um deles’.

Ao finalizar a sua mensagem, o bispo de Roma assegurou aos prelados o apoio de toda a Igreja na sua missão. ‘Vocês estão nas ‘periferias’ com o serviço particular de manifestar a presença de Cristo e da sua Igreja naquela região. O seu testemunho de vida na simplicidade e na pobreza é um sinal eminente para toda a Igreja. Estejam certos de que o Sucessor de Pedro os acompanha no seu áspero caminho e os encoraja a ser sempre homens de esperança.’


Fonte :
* Artigo na íntegra de http://www.zenit.org/pt/articles/o-papa-agradece-pela-valentia-dos-bispos-do-norte-da-africa

Nenhum comentário: