quinta-feira, 5 de março de 2015

Não temos medo de nada

Por Eliana Maria (Ir. Gabriela, Obl. OSB)


‘‘Puseram-nos diante da escolha de ou ser cristãos ou morrer. E tivemos que fugir das nossas terras com o nosso Cristo, com a nossa fé e com os nossos princípios. Optamos por ir embora para longe das nossas casas e do nosso país que amamos, preferindo ser estrangeiros em terra estrangeira, com toda a dor e sofrimento a que isto leva, para não nos tornarmos parte daquele mal e daquela violência desumana contra os inocentes’.

São algumas das comovedoras palavras da carta enviada ao Papa por algumas famílias cristãs iraquianas refugiadas desde há alguns meses na paróquia de Naour na Jordânia. Entregou-a diretamente a Francisco – depois da missa em Santa Marta de quinta-feira, 5 de Março – o padre Rifat Bader, diretor do Catholic Center for Studies and Media de Amã e pároco em Naour. O Padre Rifat ofereceu ao Pontífice também a cópia de um quadro realizado por um destes refugiados : ‘Não posso revelar o seu nome – disse-nos o religioso – porque ele teme pela sua vida, mas representou no quadro o inteiro drama vivido pela comunidade cristã de Mosul’. A obra representa uma caravana que deixa atrás de si os muros da cidade (à esquerda vê-se também uma estátua de Lamassu, um dos símbolos da civilização assíria que foram destruídos pelos terroristas). Em cima a Sagrada família (‘também ela foi refugiada’) e um anjo da guarda que acompanha o caminho de um inteiro povo : sacerdotes, religiosas, homens, mulheres, idosos, crianças, alguns com trajes típicos das cidades de Mosul e Qaraqosh. ‘Nestes meses – diz-nos o padre Rifat – recebi destas pessoas, perseguidas precisamente por serem cristãs, um grande testemunho : já não têm nada, a sua única riqueza é a fé’. Escrevem-no elas mesmas ao Papa : ‘A nossa fé hoje é muito mais forte do que antes. De nada temos medo porque estamos convictos de que Deus está conosco.


Fonte :
* Artigo na íntegra de http://www.news.va/pt/news/nao-temos-medo-de-nada

Nenhum comentário: