quinta-feira, 3 de março de 2016

Seca ameaça de fome populações de várias partes da África

Por Eliana Maria (Ir. Gabriela, Obl. OSB)


11 milhões de crianças correm o risco de morrer de fome na África.  O SOS Aldeias das Crianças é um programa de emergência na Etiópia

Segundo as Nações Unidas, as pessoas que correm o risco de passar a fome devido à seca na África são cerca de 30 milhões. A África do Sul já declarou estado de calamidade e em Angola, Botswana, Malawi, Zâmbia, Zimbabwe, Lesoto, Swazilândia e Moçambique, a situação de emergência poderá agravar-se ainda mais. Preocupante é a situação na Etiópia, onde mais de 10 milhões de pessoas necessitam de ajudas alimentares.

As crianças são os mais vulneráveis em tempos de penúria alimentar aguda. Temos necessidade de responder imediatamente, antes que a crise alimentar se agrave e a má-nutrição os toque de maneira irreversível. Mas, a resposta humanitária deveria ter uma visão a longo prazo. É necessário desenvolver uma estratégia para reduzir sistematicamente a má-nutrição e os fatores-chave que causam vulnerabilidade infantil’ – afirma Dereje Wordofa, Director Internacional SOS da África Oriental e Meridional.

SOS Aldeias das Crianças Etiópia é parte ativa da nova task-force de proteção da infância guiada pelo UNICEF e pelo Fundo das Nações Unidas para a População, UNFPA. Esta task-force ou grupo de trabalho concentrará os seus esforços no apoio psicológico das vítimas da seca e protegerá 1 milhão de crianças vulneráveis de várias formas : dos serviços de proteção da infância, programas de reforço familiar, de apoio e de reunião de menores não acompanhados, e apoio psicológico à infância.

‘É encorajador ver que o governo da Etiópia tenha tomado medidas antecipadas. Começou por procurar e distribuir alimentos há já um ano atrás. A seca causará, muito provavelmente, aumento dos preços dos produtos alimentares o que incidirá negativamente no bolso das famílias. E poderá ter também um impacto negativo também sobre os programas de reforço familiar, mas a política de prevenção posta em ato juntamente com o governo e com as outras agencias humanitária nos leva a pensar que conseguiremos enfrentar a crise – concluiu Dereje Wordofa.

SOS Aldeias das Crianças começou a atuar na Etiópia precisamente em 1974, ano em que o país foi atingido por uma terrível seca. Hoje está presente em diversas regiões do país : Jimma, Adis-Abeba, Harrar, Hawasa, Gode, Bahir, Dar e Makallé. A Etiópia passou por uma grave crise alimentar entre 1983 e 1985, o que ceifou a vida a cerca de um milhão de pessoas. A Seca de 2011 atingiu 4,6 milhões de pessoas na Etiópia, 4 milhões na Somália, 3,8 milhões no Quénia e 180 mil no Djibuti.

SOS Aldeias das Crianças é uma organização mundial empenhada no apoio a crianças que carecem de cuidados familiares ou que correm o risco de os perder. Surgiu em 1949 e até hoje é a única Associação com capacidade para acolher, no seio das suas Aldeias SOS, 82.300 crianças, às quais garante instrução, curas médicas e tutela em situação de emergência. Promove programas de suporte a famílias em estado de necessidade e está presente em 134 países do mundo, onde ajuda cerca de dois milhões de pessoas.’


Fonte :
* Artigo na íntegra


Nenhum comentário: