sexta-feira, 26 de agosto de 2016

A providência divina em São João Crisóstomo

Por Eliana Maria (Ir. Gabriela, Obl. OSB)

 A Providência divina fez todas as coisas seja para os seres irracionais, seja para os seres racionais.
*Artigo de Dom Vital Corbellini,
Bispo de Marabá, PA


‘São João Crisóstomo, bispo de Constantinopla, final dos séculos IV e início do V, escreveu uma obra importante sobre a Providência divina. Ele a via como graça de Deus e missão humana na objetividade das coisas. Deus é conhecido através de seus atributos sendo um deles, a Providência para com todas as criaturas, visíveis e invisíveis, pequenas e grandes, mas sobretudo para com o homem e a mulher.


1. Deus fez as coisas para o ser humano

Deus fez todas as coisas para o ser humano tornando-as bonitas, grandes, variegadas, ricas, adaptadas às necessidades, úteis e sob todos os aspectos benéficas, aptas a sustentar o corpo, conduzir à alma à sabedoria e ao conhecimento de Deus. Pela gratuidade das coisas é possível perceber o conhecimento do Criador.

Deus embelezou o céu não somente com astros, mas também com o sol e a lua ocasionando para todos grande prazer e enorme utilidade. Os astros não apenas marcam a duração da totalidade dos anos e das estações mas indicam a cada noite, a hora e o curso do tempo. Da mesma forma como os astros, as fases da lua dizem respeito às indicações exatas e fidedignas.


2. A Providência preparou bem as coisas

O Bispo de Constantinopla falou a respeito das criaturas visíveis que são o sol e a lua. Se a primeira (o sol) é capaz de regular as horas do dia, já a segunda (a lua) estabelece as da noite, prestando outros serviços pois suaviza a temperatura e produz orvalho para as sementes germinarem na terra. Sendo inferior ao sol, a lua é muito superior aos astros por ocupar lugar intermédio entre o esplendor do sol e a dos astros.

A providência preparou as coisas com sabedoria criativa porque em toda a parte produz enorme variedade. Simultaneamente manifesta seu poder peculiar de operar grandes maravilhas, cuidar do proveito dos que consideram indescritíveis vantagens e além disso é aprazível.

Como a pessoa não admiraria o levante do sol depois da aurora, que instantaneamente ilumina com seus raios toda a terra, o mar, montanhas, bosques e colinas, o céu inteiro despojando as coisas visíveis do manto noturno? Como não perceber a sua beleza florescente e seu brilho? Na realidade ele traz proveito às sementes, às plantas, ao corpo das pessoas, e a todos os seres do universo visível.


3. A providência e o ser humano

São João Crisóstomo falou do beneficiado de todas essas coisas que é o ser humano. Os ventos refrescam os nossos corpos fatigados, purificam a terra da contaminação da lama e o ar poluído da fumaça, pelo fogo e por outras exalações, atenuam o calor dos raios solares, nutrem e fazem germinar as sementes. O bispo tem presente também a noite, percebendo nela a grande providência do Criador. Ela faz repousar o nosso corpo cansado; relaxa e distende os membros tensos pelos esforços diurnos e restitui-lhes, pelo repouso, vigor pleno.


4. O bem da Providência divina

A Providência divina fez bem todas as coisas seja para os seres irracionais, seja para os seres racionais no caso as pessoas, o homem e a mulher. Deus fez tudo bem à realização humana. João enumera as artes, os ofícios, as cidades, as aldeias, o sono, a morte, a vida, o crescimento e tantos fenômenos naturais e este mundo tão grande destinado à vida futura. São Paulo exprime-se dessa forma : a criação também será libertada da escravidão da corrupção, para entrar na liberdade da glória dos filhos de Deus (Rm 8,21).

João Crisóstomo convida o ser humano a adorar o Senhor por ter-nos dado uma alma espiritual e racional, de nos ter feito criaturas suas com amor, de nos ter entregado a realeza sobre as coisas visíveis. Sem ter necessidade de nosso serviço, deu-nos o ser. Foi unicamente por amor que nos chamou à existência e tudo isso, Ele o fez por nossa causa.


5. A Providência divina, Encarnação e a Salvação

O Bispo de Constantinopla falou da encarnação do Verbo de Deus. Ele tornou-se um de nós, menos o pecado. Ele conviveu com os seres humanos, operou milagres, fez promessas e as cumpriu. Passou no mundo fazendo o bem. Foi pregado na cruz, a fim de suprimir a tirania do pecado humano, quebrar os laços da morte, abrir-nos as portas do céu.

Cristo Jesus ressuscitou dos mortos, voltou para o Pai, e como tinha dito, pediu ao Pai que enviasse o Espírito Santo sobre os apóstolos. Este veio para renovar as pessoas e as criaturas. Compreendamos dessa forma que a Providência divina continua agindo pela missão das Pessoas divinas e pela boa vontade das pessoas em acolhê-las tornando o mundo conforme o plano original da criação na harmonia e no amor. Deus conta conosco nessa obra da redenção para que vivamos bem na paz e no amor neste mundo e um dia na eternidade.’


Fonte :

Nenhum comentário: