segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Aumenta perseguição aos cristãos

Por Eliana Maria (Ir. Gabriela, Obl. OSB)

 
*Artigo de Padre Bernardino Frutuoso,
Missionário Comboniano


A organização humanitária Open Doors (Portas Abertas) divulgou em Janeiro a World Watch List 2016 («Classificação da Perseguição Religiosa»), a lista dos 50 países onde os cristãos são mais perseguidos no mundo. Existem hoje mais de 100 milhões de cristãos que são perseguidos por causa da sua fé. As pesquisas realizadas para a elaboração da Classificação 2016 mostram que, em todo mundo, mais de sete mil cristãos foram mortos por razões relacionadas com a fé, no ano de 2015. Isso representa um aumento de quase três mil em comparação com os números do ano anterior. E isto excluindo a Coreia do Norte e parte da Síria e do Iraque, onde não existem registros precisos. As estatísticas também mostram que mais de 2400 igrejas foram atacadas ou destruídas, o dobro em relação ao período anterior.


Mártires de hoje

Em Dezembro passado, no dia em que a Igreja Católica celebra a memória do seu primeiro mártir, Santo Estêvão, o Papa Francisco recordou os cristãos perseguidos por causa da sua fé, e convidou todos a promover o perdão. «Confiamos à Virgem Maria os que – e infelizmente são muitíssimos –, como Santo Estêvão, sofrem perseguições por causa da fé, os nossos tantos mártires de hoje», disse Francisco.

O pontífice convidou os católicos a «receber e dar o perdão», vivendo no seu dia-a-dia com um espírito de misericórdia. «Como o nosso Pai celeste, tornemo-nos também nós misericordiosos, para que através do perdão vençamos o mal com o bem, transformemos o ódio em amor e deixemos assim o mundo mais limpo», disse o papa.

A intervenção do papa surgia dias depois de que a comunidade cristã que vive no campo de refugiados de Mar Elias, no Iraque, tinha enviado uma mensagem a perdoar os jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico que os perseguiram, ameaçaram e conduziram à situação em que se encontram.

Na memória do Papa Francisco estavam presentes também os nove cristãos que perderam a vida nas Filipinas, na ilha de Mindanau, no Sudoeste do país. No dia 24 de Dezembro, houve uma série de ataques armados contra alvos cristãos, alegadamente cometidos por um grupo de rebeldes muçulmanos. Perderam a vida nove cristãos. O Papa Francisco lamentou «o assassínio absurdo de pessoas inocentes» e exortou «todos os crentes a rejeitarem a violência em nome de Deus, que é amor».


Causas das perseguições

O extremismo islâmico constitui ainda a principal origem das perseguições, segundo a organização Portas Abertas. Como origem de perseguições, estão em forte aumento, o nacionalismo religioso – como observado na Índia, que passou a ocupar a 17.ª posição na lista dos países mais perseguidores, e a «paranóia ditatorial», observada na Eritreia (3.º lugar) e na Coreia do Norte, país que encabeça a Classificação 2016.

A Coreia do Norte está no topo da lista pelo décimo quarto ano consecutivo. O líder Kim Jong-un opõe-se a qualquer ideologia ou crença diferente do pensamento do regime comunista. Os cristãos do país procuram ocultar a sua fé tanto quanto possível para assim evitar a prisão e a deportação para os campos de trabalhos forçados; no entanto, estima-se que entre 50 mil e 70 mil cristãos estejam ou presos ou nesses campos de concentração.

As condições também pioraram para os cristãos em toda a Ásia. Países como o Usbequistão, Vietname e Índia têm todos aumentos nas taxas de perseguição. Na Índia (21.º na Classificação), a perseguição é impulsionada pelo extremismo islâmico e fundamentalismo hindu.


Países africanos

O extremismo islâmico, no mundo de hoje, tem dois principais centros : o Oriente Médio e a África Subsariana. Muitas vezes, em termos numéricos, a perseguição aos cristãos nessa região supera o que está a acontecer no Oriente Médio. Dos 50 países da Classificação da Perseguição Religiosa, 16 são da África.

O Níger, recém-ingressado na lista, está na 49.ª posição. A violência anticristã ficou ainda mais intensa no país após a publicação do jornal satírico francês Charlie Hebdo, que publicou a imagem do profeta Maomé a chorar, em Janeiro do ano passado, e que o mundo islâmico considerou uma provocação; em retaliação à capa do jornal, houve protestos violentos que atingiram principalmente a comunidade cristã. Os seguidores de Jesus enfrentam diariamente o desafio de dar bom testemunho e de resistir às pressões num país de maioria muçulmana. Segundo um líder de uma igreja local, os políticos estão mais preocupados com os preparativos para as eleições de 2016 e com a luta que estão a enfrentar com o Boko Haram do que com as igrejas que estão sendo abandonadas. Num discurso na televisão, o presidente Mahamadou Issoufou questionou : «O que fizeram os cristãos do Níger para merecer isso? Em que momento foram injustos?» Mas a intolerância religiosa faz com que grupos radicais como o Boko Haram e o Al-Shabab perpetrem ataques sem precedentes.

A Nigéria, embora não esteja entre os dez países que mais perseguem cristãos, foi, em 2015, a triste ‘campeã’ na quantidade absoluta de cristãos assassinados : 4028. Sozinha, a Nigéria somou mais mortes do que todos os outros 49 países juntos. O segundo lugar é ocupado pela República Centro-Africana, com 1269 mortes. Até ao sétimo lugar, todos os países são africanos : Chade, República Democrática do Congo, Quénia, Camarões e Líbia.


Perseguição global

O mundo também assiste ao êxodo de cristãos, nunca visto antes. Em 2015, o que aconteceu na Síria, Iraque e Somália afetou os cristãos de todo o mundo. Um líder religioso do Iraque comentou : «Não há mais lugar para fronteiras, quando se trata de cristãos perseguidos. Não há mais fronteiras. O que acontece nesses lugares, num mundo globalizado, em qualquer momento, irá acontecer em algum outro lugar do mundo.»

Mesmo assim, os cristãos perseguidos compartilham a sua mensagem de fé, esperança e perseverança. «Somos perseguidos porque estamos a fazer a coisa certa, e essa perseguição mostra que somos maduros para Jesus», afirma um cristão perseguido, lembrando um provérbio indiano que diz que crianças só atiram pedras nas mangas maduras.

A Classificação da Perseguição Religiosa é mais do que uma lista. É uma recordação do quanto custa ser cristão.’


Fonte :


Nenhum comentário: