quinta-feira, 7 de abril de 2016

Missão Fen Xiang

Por Eliana Maria (Ir. Gabriela, Obl. OSB)

*Artigo de Daniel Cerezo Ruiz,
Missionário Comboniano


Formação, cooperação, ajuda à Igreja chinesa para cuidar dos que são deixados para trás pelo alargamento sempre crescente do fosso entre ricos e pobres — são os objetivos do projeto Fen Xiang, iniciado em 1998 e que reflete o espírito missionário comboniano : partilhar.

‘«Fen Xiang» é uma expressão marcadamente missionária. Os dois ideogramas chineses que compõem a expressão, que significa «partilhar», são usados frequentemente na Igreja, assim como em círculos públicos. Aprofundando um pouco mais o significado dos dois ideogramas, podemos dizer que Fen significa «dividir-se, partir ou partilhar» e implica sempre duas partes. Xiang, por seu lado, é o ideograma para a alegria, uma boa experiência e sentimento. Juntos, indicam partilha de sentimentos e experiências, assim como coisas, propriedades, bens materiais, dinheiro, etc. Pode também referir-se a ambos, alegrias e sofrimentos, a acontecimentos, tanto dolorosos como felizes. Finalmente, partilhar pode ser dar e receber, seja o que for que esteja em jogo.

O Fen Xiang apresenta-se, por um lado, como uma estrutura cuja finalidade principal é colaborar com a Igreja na China, apoiando iniciativas e projetos de formação do pessoal da Igreja. Por outro lado, o Fen Xiang presta ajuda e apoia projetos no campo da promoção humana, levando em linha de conta em especial os mais vulneráveis, a saber: os mais pobres e as crianças em circunstâncias especiais, tais como as que vivem nos orfanatos, as vítimas da sida ou os estudantes pobres.

O Fen Xiang teve início em 1998, porque se sentia necessidade da «presença» do carisma comboniano em solo chinês, especificamente colaborando com a Igreja local ou, dizendo de outra forma, «salvando a China com o povo chinês». Este é o espírito que guia e inspira a origem do Fen Xiang desde o início até ao presente.


Formação e informação

Um olhar para a Igreja na China permitirá inevitavelmente que o leitor se aperceba da complexidade da situação, em particular da Igreja Católica e do trabalho que está sendo feito por uma congregação missionária cujo desejo é o de caminhar, pelos seus próprios meios, no mundo da formação e da colaboração com o Igreja local, considerando que, por razões políticas e sociais, esteve privada da execução das diretrizes orientadoras do Vaticano II. Seja qual for o ângulo de onde se olhe a Igreja na China, devemos admitir que a formação é uma matéria central na qual muitos mais esforços e recursos têm de ser investidos de modo que a Igreja na China possa lidar com a sociedade chinesa em rápida mudança.

O Fen Xiang funciona em dois sentidos. Por um lado, colabora com a Igreja local no campo da formação e, por outro lado, traz a situação da Igreja na China ao conhecimento da Igreja universal. É inquestionavelmente verdade que neste fluxo e intercâmbio há um enriquecimento mútuo, não somente porque traz ao conhecimento da Igreja universal experiências de leal e inabalável fé, mas também aos crentes noutras áreas cuja fé está enfraquecendo. O Fen Xiang também se junta à Igreja local na China, em épocas de adversidade e controle, pelo mero fato de estar presente e de trocar formas de entendimento mútuo e de compreensão durante os últimos anos. Assim, o Fen Xiang visa também estabelecer laços com a Igreja universal, divulgando a situação, os altos e baixos da Igreja local na China.


Igreja para os pobres

No que se refere aos marginalizados da sociedade, a declaração de princípios do Fen Xiang aponta para a periferia e para o excluído da sociedade. No meio do desenvolvimento crescente nas grandes cidades e vilas, o fosso entre ricos e pobres alarga-se a cada dia. Em consequência, saíram pessoas em massa do campo como vítimas de um sistema capitalista dentro de um país comunista. O Fen Xiang também pretende trazer para uma sociedade em rápida mudança, preocupada sobretudo com o dinheiro e os objetivos materiais, o valor da preocupação com os que nada têm.

A Igreja local trará inevitavelmente, com a sua presença entre os necessitados, os valores do Evangelho e o fato de um outro tipo de sociedade ser possível. O Fen Xiang também está envolvido neste esforço. Apoia as estruturas diocesanas locais e já se estendeu por diversas dioceses que colaboram com o Fen Xiang como parceiros na prossecução e idealização de uma Igreja que cuida dos pobres e dos mais abandonados. O Fen Xiang acredita que uma congregação missionária não pode perder a oportunidade de tomar parte na peregrinação da Igreja chinesa nos tempos que correm. A abordagem do Fen Xiang é a da humildade e a de fazer as coisas discretamente. O protagonismo é deixado à Igreja local, e é através das suas estruturas que a colaboração é concretizada.


Partilhar o espírito do Evangelho

A formação, que é o seu objetivo principal, requer também um tipo de Cristandade em mudança, nomeadamente de um tipo rural e tradicional a um urbano, com as suas próprias transformações e crise, devido às grandes migrações de pessoas que se aglomeram ao redor das grandes cidades. A Igreja começa a mostrar o seu lado samaritano em áreas principais da sociedade, aceitando o desafio ao risco e entrando na arena da sociedade. Assim, no campo da formação, o Fen Xiang apoia cursos para o laicado, promove bolsas de estudo para o pessoal da Igreja, organiza retiros e cursos missionários. Quanto à promoção humana, o Fen Xiang concede bolsas de estudo às crianças das áreas rurais pobres, apoia orfanatos de várias maneiras e é sensível às crianças afetadas, de uma maneira ou de outra, pela sida. Concede também bolsas de estudo ao pessoal da Igreja para promover o treino médico e humano.

O Fen Xiang vê-se, assim, como uma estrutura criativa com uma presença discreta que colabora com a Igreja local. Como parceiros, e como irmãos e irmãs, o Fen Xiang e os seus colaboradores partilham do espírito do Evangelho e criam laços que conduzem aos valores do Reino.’


Fonte :

Nenhum comentário: